“De novo eu me entrego ao amor. De novo o medo. De novo o arrepio. De novo o sorriso que se amplia. De novo a entrega em etapas. De novo o olhar curioso. De novo o caminho sem placas. E abro espaço : não tem mais volta! A energia que me toma é a energia do prazer. Ando com os pés firmes no chão : nada mais temo, nem o sofrer! Sofrer é sinal de vida em movimento! É sentir com intensidade, independente da idade! É abrir os braços pro desconhecido, feito criança, e cantarolar aos 4 ventos! Hoje caminhamos juntos o caminho do amor. Sem pressa. Sem destino e sem dor! Eu te guardo assim. No meu coração. Fazemos dos nossos encontros oração. Sem reza pronta ou decorada. O inesperado é nosso guia, nossa morada.”